Inovações
Conheça algumas características da lipoaspiração, uma das cirurgias mais conhecidas e realizadas da atualidade.

Lipoaspiração

Procedimento seguro com resultados mais naturais

por Dr. Darwin Lizot Rech

A lipoaspiração é umas das cirurgias estéticas mais realizadas em todo o mundo. Segundo a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, no ano de 2015 foram realizadas mais de 182 mil lipoaspirações em nosso país. Iniciada pelo cirurgião francês Yves Gerard Illouz, em 1978, foi criada com o objetivo de agradar sua namorada e famosa atriz que adorava usar decotes, mas sentia vergonha em relação a um depósito de gordura nas costas.

Apesar de manter bons hábitos de saúde, como a manutenção de uma dieta adequada e a prática de atividades físicas, algumas pessoas podem, ainda, manter um corpo com contornos desproporcionais devido ao depósito de gordura em determinadas áreas. Condições genéticas ou oscilações no peso podem favorecer essas alterações.

Como funciona a lipoaspiração?

O princípio baseia-se na introdução, através de pequenas incisões de 3 a 5mm na pele, de cânulas finas até o interior da camada gordurosa subcutânea. Essas cânulas ocas e que possuem orifícios em suas pontas são ligadas a um aparelho que produz pressão negativa. O trabalho do cirurgião se dá em realizar movimentos delicados e precisos nas áreas desejadas que permitem que a gordura seja sugada: o abdome, os flancos, os culotes, as coxas e os braços são as áreas mais comumente tratadas.

Desse modo, a lipoaspiração pode ser uma excelente aliada na busca por um contorno corporal mais adequado. A evolução da Cirurgia Plástica e da Lipoaspiração permitiu, cada vez mais, a realização de procedimentos mais seguros e com resultados mais naturais. O objetivo dessa cirurgia é que a paciente perceba as mudanças desejadas, mas sem as deixar estigmatizadas no corpo. Para isso, cânulas finas e técnicas adequadas devem ser empregadas.

O que acontece com a gordura que é retirada na cirurgia?

A atenção para tratar as camadas mais profundas do tecido gorduroso irá minimizar a possibilidade de irregularidades ou de depressões na pele. No que diz respeito ao volume de gordura a ser retirado, temos como preceito de segurança nunca ultrapassar 5% a 7% da massa corporal — é importante destacar que o objetivo dessa cirurgia não é diminuir o peso dos pacientes. A gordura retirada pode ser usada para dar volume a determinadas áreas do corpo (chamamos a este procedimento de lipoescultura), como os glúteos, sulcos da face, áreas com depressões por cicatrizes antigas. É imprescindível lembrar que essa cirurgia não trata a flacidez ou excesso de pele, tornando, então, necessárias alternativas.

Qual a duração da lipoaspiração?

Esse procedimento, que tem duração de 2 a 6 horas, é geralmente realizado sob anestesia geral e os pacientes recebem alta de 8 a 12 horas após o término da cirurgia. O retorno ao trabalho pode ser feito em até 7 dias, enquanto as atividades físicas são recomendadas apenas após 30 dias. Como cuidados pós-operatórios muito importantes, destaco o uso de modeladores e a realização de drenagens, meios que auxiliam não só na recuperação e no conforto como também nos resultados da paciente.

Quais os cuidados necessários após a cirurgia?

Uma boa alimentação, aliada a uma ingestão rica de líquidos, são importantes para a prevenção de complicações e para uma mais rápida recuperação após cirurgia. Por ser um procedimento versátil, essa cirurgia pode, dependendo das condições clínicas dos pacientes, ser realizada em associação a outros procedimentos como, mais frequentemente, a colocação de próteses de mama de silicone, a abdominoplastia, a rinoplastia ou a mastopexia.

Posso fazer lipoaspiração no verão?

Sim. Ao contrário de o que muitas pessoas pensam, não existe um melhor período do ano para realizar esse procedimento, pois os resultados ou mesmo a recuperação não dependem da temperatura do ambiente. Observamos, sim, um maior número de pacientes em períodos de férias de inverno (meses de junho e julho) seguidos por meses de férias de verão (dezembro e janeiro). É importante destacar que a melhor época do ano é aquela em que a paciente vai poder se empenhar aos cuidados corretos para essa cirurgia.

Lembre-se de que a busca pela melhora na autoestima visa ao encontro e ao equilíbrio entre o corpo e a mente. Hábitos saudáveis e um adequado estilo de vida são indispensáveis para que isso aconteça.


Dr. Darwin Lizot Rech, MD
Cirurgião Plástico Membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica CREMERS: 32147 RQE: 26347
Instrutor do Serviço de Cirurgia Plástica da UFCSPA – Santa Casa de Porto Alegre
International Fellow no Instituto Javier de Benito – Barcelona/Espanha
American Society of Plastic Surgery Scholar Visiting Clinician at Cleveland Clinic and Mayo Clinic – USA

revista-viva-harmonia-edicao-n6
Esta matéria foi publicada originalmente na 6ª edição da Revista Viva Harmonia, lançada em abril de 2018.

Deixe um comentário

Topo
Open chat